“Trauma cardíaco penetrante” é tema de defesa de tese de doutorado por membro da SBAIT

IMG_1161

Dr Bruno Pereira durante sua aula

Nesta quinta-feira (2), foi apresentada, na Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, a defesa de tese de doutorado do membro da SBAIT, Dr.  Bruno Monteiro Tavares Pereira, intitulada: ” Trauma cardíaco penetrante: 20 anos de experiência em um hospital universitário”.

Esta foi a primeira defesa de tese transmitida via telemedicina e considerada a primeira defesa internacional, de fato, do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Cirurgia da Unicamp, contando com a presença de convidados internacionais na banca examinadora e também a apresentação do candidato e parte da arguição em inglês.

IMG_1202

Dr . Bruno durante arguição de Dr Sandro Rizoli ( Toronto-CA), via telemedicina

A apresentação contou com um detalhado histórico sobre os traumas cardíacos. Frases que marcaram uma época, como “Todo trauma cardíaco é fatal”, de Herman Boerhaave, ou ainda a declaração, em 1883 de Theodore Billroth “O Cirurgião que tentar suturar uma ferida no coração deverá perder o respeito de seus colegas”, marcaram uma época e uma geração de cirurgiões.  Felizmente o conhecimento, a medicina e as técnicas cirúrgicas avançaram, deixando os mitos de lado e permitindo atualmente salvar um número muito maior de vidas.

Traumas penetrantes, incluindo feridas por arma de fogo e armas brancas, são as principais causas de trauma cardíaco. O objetivo do estudo foi descrever e comparar as variáveis ​​entre os pacientes com trauma penetrante cardíaco durante 20 anos em um hospital universitário, identificando fatores de risco para a morbidade e mortalidade. O estudo, realizado no centro de referência em Trauma – Hospital das Clínicas da Universidade de Campinas (Unicamp) durante 1999 a 2009, utilizou como métodos: Revisão dos dados de registro de trauma, seguido por análise estatística descritiva comparando os períodos 1990-1999 (grupo 1, 54 casos) e 2000-2009 (grupo 2, 39 casos). Variáveis como: idade, sexo, mecanismo da lesão, sinais de admissão clínica, diagnósticos, achados cirúrgicos, tratamento, complicações, tempo de permanência no hospital, pacientes estáveis versus pacientes instáveis e escores de trauma, foram utilizadas para análise.

IMG_1185

A defesa de tese contou com a presença de alunos, amigos e familiares do candidato.

Os resultados apontaram que as incidências de lesões cardíacas penetrantes eram constantes durante o período de estudo. Os dois grupos foram semelhantes quanto à idade, mecanismo de trauma e ISS. O grupo 1 apresentou a menor pressão arterial sistólica na admissão (média de 87 contra 109 milímetros Hg), GCS inferiores (12,9 contra 14,1), RTS mais baixas (6,4 versus 7,3), maior incidência de lesões cardíacas de grau IV-V (74% versus 48,7%) , e eram menos propensos a sobreviver (0,83 contra 0,93). O principal fator de risco de morte foi lesão por arma de fogo (13 vezes maior do que arma branca), pressão arterial sistólica <90 mmHg, GCS <8, RTS <7,84, lesões associadas, grau de lesão IV-V, e ISS> 25.  Observou-se uma tendência na redução de mortalidade de 20,3% para 10,3%, dentro do período de estudo.

As conclusões do estudo apontaram que a mortalidade por trauma cardíaco no HC da Unicamp está mais baixa na última década. Nesse mesmo período, os pacientes foram admitidos em melhor condição fisiológica, talvez refletindo uma evolução no sistema de assistência pré-hospitalar. Foram identificados também vários fatores associados à morbidade e mortalidade.

IMG_1225

Dr. Bruno durante arguição da banca, composta pelo Prof. Dr. Rao Ivatury (EUA), Dr. Pedro Paulo Martins de Oliveira ( FCM/Unicamp), Dr Gustavo P. Fraga (FCM/Unicamp, presidente da banca e orientador da tese) e Dra. Desanla Dragosavac (FCM/Unicamp), além do Prof. Dr Sandro Rizoli ( Toronto-Ca), via telemedicina.

A banca foi presidida por Prof. Dr. Gustavo Pereira Fraga (FCM/Unicamp), orientador do estudo e composta pelos membros titulares, Prof. Dr. Pedro Paulo Martins de Oliveira ( FCM/Unicamp), Prof. Dr. Rao Ivatury ( Virgínia Commonhealth University), Prof. Dr . Sandro Rizoli ( University of Toronto), Profª Drª Desanka Dragosavac ( FCM/Unicamp) e como membros suplentes, Profª Drª Elaine Soraya Barbosa Oliveira Severino ( FCM/Unicamp), Prof. Dr. Rossano Kepler Alvim Fiorelli ( UNIRIO) e Prof. Dr. José Luís Braga de Aquino ( PUCCAMP).

Para o Dr. Bruno Pereira, “este foi um estudo muito interessante que refletiu a evolução do sistema de atendimento ao trauma na cidade de Campinas, assim como a diminuição da incidência do trauma cardíaco penetrante no Hospital de Clínicas da Unicamp. Foi um momento muito excitante discutir sobre lesões complexas do coração desde seu primeiro relato até os dias atuais.”

“Me senti muito honrado de ter uma banca julgadora composta por membros de importância internacional. Isso valoriza nosso trabalho, nossa Universidade e nos estimula a seguir em frente”, conclui Dr Bruno.

O Dr. Bruno Pereira foi aprovado e a SBAIT aproveita a oportunidade para parabenizá-lo pelo título de Professor Doutor, recebido pelo programa de pós graduação em Ciências da Cirurgia da FCM – UNICAMP.

O estudo já encontra-se publicado no Journal of Surgical Research – Science Direct

 

Matérias relacionadas:

Morte por arma de fogo e branca tem queda nos últimos dez anos, aponta pesquisa ( Portal Faculdade Ciências Médicas – Unicamp, 03/10/14)

This entry was posted in News and tagged . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s